Header Ads

Comer Barato em Brasília? Economizze

Alexandre Ribondi e Abaetê Queiroz selam nova parceria na peça “Depois desse dia feliz”


Não há primeiro encontro sem surpresas. No ar e nos olhares, existem perguntas difíceis e respostas quase impossíveis. O que pode ser dito? O que deve ser guardado? E, mais que tudo, quais segredos devem ser revelados para que o encontro tenha valido a pena? É isso o que move a nova peça da Desvio Produções, “Depois desse dia feliz”, com direção de Abaetê Queiroz. Em cartaz entre 19 e 28 de fevereiro, às 21h (sextas e sábados) e às 20h (domingos), a peça ganha estreia no Teatro Goldoni – Sala Adolfo Celi, com ingressos a R$ 20 (meia-entrada).

Um homem mais velho (Alexandre Ribondi) toma a iniciativa de escrever uma carta a quem ele sabe que existe, mas que nunca viu, e com quem nunca conversou. A carta tem um convite sucinto: "Venha". O homem mais novo (Rafael Salmona) aceita o convite, sem ter ideia do que se trata. Ele é um poço de perguntas. O mais velho é, por sua vez, um poço de respostas.

Os dois finalmente se encontram na sala da casa da personagem de Ribondi. Pisam em ovos. Não sabem como se olhar, não sabem sobre o que conversar. Pouco a pouco, velhas fotografias, de mais de 25 anos, são apresentadas. E são elas que começam a contar o que deve ser dito. E antigas histórias passam a ser lembradas: os sorrisos de alguns, a solidão de outros, as bocas, as coxas, a cintura, o sexo.

Finalmente, as personagens descobrem, com palavras e ações, o que cada um representa para o outro. Mas, revertendo o senso comum, os dois homens não são apanhados por sentimento de culpa, não se curvam diante dos possíveis pecados cometidos, não acham que criaram motivos para a destruição dos corações. O que eles sabem é que, a partir desse primeiro encontro, suas vidas tomarão rumos inesperados.

Abaetê Queiroz, nessa peça mergulhada num realismo delicado, cria um clima verdadeiramente intimista. O que há de mais sórdido é narrado com a mesma delicadeza com que se fala dos momentos bons da vida de cada um. Existe uma tensão suave e permanente ao longo de todo o espetáculo que transforma o que há de mais assustador e surpreendente em um dia feliz. E é no final da peça que ambos irão viver o que existe para ser vivido “Depois Desse Dia Feliz”.

Com esta produção, Alexandre Ribondi retoma o posto de ator. A última peça em que atuou foi “Uma ilha para três”, em 2008. De lá pra cá, dedicou-se exclusivamente a roteiros e direção, com algumas apresentações do stand up “Papo de homem”.

Ficha técnica
Texto: Alexandre Ribondi
Direção: Abaetê Queiroz
Elenco: Alexandre Ribondi e Rafael Salmona
Fotógrafo: Diego Bresani
Produção: Desvio Produções Culturais
Assessoria de imprensa: Um Nome Comunicação
Designer gráfico: Rafael Salmona

Serviço - Depois desse dia Feliz
Datas e horários: de 19 a 28 de fevereiro (sextas e sábados às 21h e domingos às 20h)
Local: Teatro Goldoni – Sala Adolfo Celi (EQS 208/209 – Entrada pelo eixo L – Casa d’Italia)
Classificação indicativa: 14 anos
Tempo de duração: 70 minutos
Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia entrada)
Informações: 8425-6885 / 3532-4748 ou desvioproducoes@gmail.com
Reservas: 3443-0606 ou t.goldoni@gmail.com


BRASÍLIA POP
brasiliapop@brasiliapop.com
Foto: Divulgação

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.