Selecionar menu

Anúncio

Slider

Variedades

Veja nossa série especial

Performance


Cute

My Place

DONA CISLENE

Anúncio


Videos

» » » » » Nem chuva, atraso e vaias esfriaram o show de Beyoncé em Brasília
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

 

A cantora norte-americana Beyoncé mostrou ontem (17/9) porque é a diva da música pop e R&B, quando interpretou seus maiores hits e suas coreografias mais famosas, no show de encerramento da turnê Mrs. Carter World Tour no Brasil, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Com uma hora e meia de atraso, o público não perdoou e vaiou, por duas vezes, até que a estrela da noite subisse ao palco, às 22h, sob forte chuva, mas que não a intimidou.

Como esperado, Beyoncé iniciou o espetáculo com o hit Run The World (Girls), levando os quase 30 mil presentes ao delírio. Em seguida, emendou com End of Time, que, segundo ela, foi inspirada no Brasil e no ritmo latino. Com a música If I Were a Boy, a diva pop foi ao público e ficou bem perto dos fãs que estavam na frente.

O megahit Single Ladies fez com que todos dançassem, de adolescentes até aos pais e as mães que acompanhavam o show. No final, Beyoncé cantou à capela I Will Always Love You, de Whitney Houston, e emendou com Halo, com a bandeira do Brasil nas mãos, jogada por um fã.

Mas a surpresa ficou para o final. Assim como aconteceu no primeiro final de semana do Rock in Rio, a cantora e os bailarinos dançaram Passinho do volante (Ah Lelek, Lek, lek, lek) para o delírio do público, que aguardava um presente como esse.

Mesmo com a chuva forte, o atraso e as vaias, Beyoncé agradeceu e disse que foi um dos melhores shows de sua carreira. "Obrigada. Foi um dos melhores shows da minha vida. O Brasil é um dos melhores países para se apresentar". O show terminou por volta das 23h30.

NOTA DEZ
Para a cantora, óbvio, e seus dançarinos, que foram impecáveis

NOTA ZERO
Para a organização, que não providenciou uma cobertura para o estádio, mesmo sabendo do bipolar clima de Brasília. Nota Zero também para a assessoria de imprensa em Brasília e para os vendedores, que chegaram a cobrar R$ 10 na pipoca e R$ 5 em um churros de dez centímetros. Os fãs também reclamaram do preço da cerveja e dos banheiros sujos na Pista Premium.

ELIJONAS MAIA / BRASÍLIA POP
brasiliapop@brasiliapop.com
Foto: Nick Farrell/Invision for Parkwood Entertainment/AP Images

Sobre Elijonas Maia

Elijonas Maia, 23 anos, é fundador e diretor-geral do Brasília Pop. Começou na internet em 2008, escrevendo para sites especializados na área de TV. Colaborou com o extinto TV Audiência e foi colunista semanal. Escreveu para a revista E-teen até criar o blog Pecevejo, de Variedades, ultrapassando 1 milhão de visitas em menos de um ano. Foi eleito pelo canal pago Multishow uma das 500 pessoas mais influentes do Twitter. Fora do mundo virtual, o jornalista já trabalhou no Jornal Satélite, Revista Freedom, Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Correio Brazilliense, TV Record Brasília e atualmente é repórter do Diário do Poder.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Anúncio