Selecionar menu

Anúncio

Slider

Variedades

Veja nossa série especial

Performance


Cute

My Place

DONA CISLENE

Anúncio


Videos

» » » » Alexander Sokurov - Poeta visual
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

De 11 a 30 de junho
O Centro Cultural Banco do Brasil apresenta a mostra Sokurov – Poeta Visual, uma retrospectiva com 30 filmes do maior representante do cinema russo contemporâneo, Alexander Sokurov.  Perfeccionista e autor de uma das mais interessantes filmografias atuais, ele encontrou no cinema a possibilidade de experimentar com a imagem. Seus filmes, verdadeiras experiências sensoriais, poderão ser apreciados no CCBB Brasília de 11 a 30 de junho. A mostra já passou pelo Rio de Janeiro e estreia em São Paulo em 22 de maio, onde vai até 16 de junho.

A seleção, com curadoria de Arndt Roskens e Fábio Savino, inclui todos os seus longas-metragens de ficção e uma seleção de seus documentários, médias e curtas-metragens.  Conhecido no Brasil principalmente pela sua Tetralogia do Poder - Moloch,Taurus, O Sol e Fausto -, Sukorov coleciona prêmios em festivais internacionais desde seu primeiro longa metragem de ficção, A Voz Solitária do Homem (1978), que ganhou o Leopardo de Prata em Locarno, em 1987.

Neste mesmo ano, ele ainda foi indicado ao Urso de Ouro no Festival de Berlin por Dolorosa Indiferença (1987). Sokurov é também detentor de uma incrível marca, com cinco indicações a Palma de Ouro em Cannes em menos de dez anos: 1999, 2001, 2002, 2003 e 2007. E em2011 recebeu o Leão de Ouro no festival de Veneza por Fausto, baseado na obra-prima de Goethe, que fecha com chave de ouro a Tetralogia do Poder.

Segundo os curadores da mostra, as temáticas de seus filmes giram, quase sempre, em torno de questões como a morte, o tempo, a família, seres solitários, a perda de um parente ou um amor. Seu ‘leitmotiv’ é restrito e repetitivo, criando a impressão de uma investigação sem fim de alguns dos problemas da civilização moderna, como a filiação e suas implicações. Pode-se mesmo dizer que Sokurov trabalha a arte como instrumento de melancolia. É importante também perceber que a linha que divide o território da ficção e do documentário, muitas vezes tênue, é ainda menos perceptível no seu cinema.

Além da programação dos filmes, a mostra promoverá a palestra “Sokurov e a Rússia entre a tradição pictória e as vanguardas audiovisuais”, com o jornalista Álvaro Machado* (vide programação)

* Jornalista, colaborador de jornais e revistas brasileiras na área cultural, como Bravo! e Carta Capital. É editor-responsável de Opera Prima Editorial (São Paulo). Entre os livros que organizou estão Manoel de Oliveira, Cinema político italiano, Amos Gitai – Percursos e Aleksandr Sokúrov e Claudia Andujar, a vulnerabilidade do ser, todos pela Cosac Naify. Ainda por essa editora, assina um dos textos do volume Tarkóvski -Instantâneos (2012). Pela Opera Prima Editorial escreveu o estudointrodutório e as notas da ediçãode Orgia – Os diários de Tulio Carella, Recife 1960, publicada em 2011.

Alexander Sokurov
Considerado um dos maiores cineastas russos da atualidade, Alexander Sokurov confessou que faz os filmes que tem vontade e que o público e a crítica podem o seguir, ou não.

Nascido em 1951 em Podorvikha, Rússia, Sokurov trabalha como produtor em um canal de televisão desde os 19 anos. Em 1974, se muda para Moscou e entra na famosa escola de cinema russa, a VGIK. Apesar de depreciado pelos dirigentes da escola, que consideram seu cinema (principalmente seus curtas e documentários)como anti-soviético, ele consegue se formar em 1979. Seu primeiro longa-metragem A Voz Solitária do Homem, realizado quando ainda estava na escola, em 1978, só saí nos cinemas russos quase dez anos depois, em 1987. Apesar de apresentado tardiamente, chama a atenção de Andrei Tarkovski que acaba por virar uma figura de referência, e que chega a dizer que vê em Sokourov um dos “raros gênios do cinema”. É a partir dessa amizade que Sokurov consegue entrar no segundo maior estúdio Russo, o Lenfilm.

A partir daí sua genialidade começa a despontar e, depois de realizar a trilogia O Segundo Círculo (1990), A Pedra (1992) e Páginas Ocultas(1993), recebe diversos prêmios com seu filme Mãe e Filho (1997), se afirmando definitivamente no cenário mundial.

Vale destacar também o filme Arca Russa (2002), uma experiência completamente diferente de todos os seus outros trabalhos: um longo plano-sequência de 95 minutos. O filme foi realizado depois de um longo estudo,milimetricamente pensado, da escolha da câmera (uma Steady Cam digital), do seu trajeto, da disposição dos atores, entre outros. Foram meses de preparação e um dia de filmagem nos mais de mil e trezentos metros de salas do museu Hermitage,em São Petersburgo.

Os filmes

  1. Smirennaya zhizn
Смиренная жизнь
Vida humilde
1997
  1. Prostaya elegiya
Простая элегия
Uma elegia simples
1990
  1. Aleksandra
Александра
Alexandra
2007
  1. Povinnost
Повинность
Confissão
1998
  1. Dni zatmeniya
Дни затмения
Os dias do eclipse
1988
  1. Dolce
Dolce… (нежно)
Dolce...
1999
  1. Elegiya
Элегия
Elegia
1986
  1. Elegiya iz Rossii
Элегия из России
Elegia da Rússia
1986-1988
  1. Elegiya dorogi
Элегия дороги
Elegia de uma viagem
2001
  1. Elegiya zhizni. Rostropovich. Vishnevskaya.
Элегия жизни: Ростропович, Вишневская
Elegia da vida
2006
  1. Otets i syn
Отец и сын
Pai e filho
2003
  1. Faust
Фауст
Fausto
2011
  1. Maria
Мария
Maria (elegia camponesa)
1978-1988
  1. Molokh
Молох
Moloch
1999
  1. Moskovskaya elegiya
Московская элегия
Elegia moscovita
1987
  1. Mat i syn
Мать и сын
Mãe e filho
1996
  1. Vostochnaya elegiya
Восточная элегия
Elegia oriental
1996
  1. Skorbnoe beschuvstvie
Скорбное безчувствие
Dolorosa indiferença
1983-1987
  1. Peterburgskaya elegiya
Петербургская элегия
Elegia de São Petersburgo
1989
  1. Russkiy kovcheg
Русский ковчег
Arca Russa
2002
  1. Spasi i sokhrani
Спаси и сохрани
Salvai e protegei
1989
  1. Sonata dlya Gitlera
Соната для Гитлера
Sonata para Hitler
1979-1989
  1. Sovetskaya elegiya
Советская элегия
Elegia sovietica
1989
  1. Dukhovnye golosa
Духовные голоса
Vozes espirituais
1995
  1. Kamen
Камень
A pedra
1992
  1. Telets
Телец
Taurus
2000
  1. Odinokiy golos cheloveka
Одинокий голос человека
A voz solitária do homem
1978-1987
  1. Krug vtoroy
Круг второй
O segundo círculo
1990
  1. Solntse
Солнце
O sol
2004
  1. Tikhiye stranitsy
Тихие страницы
Páginas ocultas
1993



Programação Brasília


Dia 11 de junho (terça-feira)
17h – Elegia moscovita – 88 min, digital – Livre
19h – Pai e filho – 94 min, 35 mm – 18anos
20h50 – Mãe e filho – 67 min, 35 mm –16 anos


Dia 12 de junho (quarta-feira)
16h – Salvai e protegei – 168 min,digital – 16 anos
19h – Maria (elegia camponesa) & Elegia de São Petersburgo – 77 min, digital – Livre
20h40 – Dolorosa indiferença – 110 min,digital – 16 anos


Dia 13 de junho (quinta-feira)

17h – Elegia da vida, 101 min, digital– Livre
19h – A pedra – 84 min, 35 mm – 16 anos
20h50 – A voz solitária do homem – 87min, digital – Livre

Dia 14 de junho (sexta-feira)
17h30 – Elegia soviética & Uma simples elegia – 60 min, digital – Livre
19h – Elegia da Rússia – 68 min,digital – Livre
20h30 – Os dias do eclipse – 137 min,digital – 16 anos

Dia 15 de junho (sábado)
15h30 – Vida humilde – 76 min, digital– Livre
17h – Arca russa – 99 min, 35 mm – 14anos
19h – Elegia moscovita – 88 min,digital – Livre
20h50 – Alexandra – 90 min, 35 mm –Livre

Dia 16 de junho (domingo)
15h30 – Vozes espirituais (parte 1& 2) – 72 min, digital – Livre
17h – Vozes espirituais (parte 3) – 86min, digital – Livre
19h – Vozes espirituais (parte 4) – 79min, digital – Livre
20h50 – Vozes espirituais (parte 5) –90 min, digital – Livre

Dia 18 de junho (terça-feira)
16h30 – Dolorosa indiferença – 110 min,digital – 16 anos
18h40 – Elegia soviética & Uma simples elegia – 60 min, digital – Livre
20h – Salvai e protegei – 168 min,digital – 16 anos

Dia 19 de junho (quarta-feira)

16h30 – Os dias do eclipse – 137 min,digital – 16 anos
19h – Arca russa – 99 min, 35 mm – 14anos
20h50 – Palestra com Álvaro Machado *

Dia 20 de junho (quinta-feira)
16h – Fausto – 137 min, 35 mm – 14 anos
18h30 – Confissão (parte 1, 2 & 3)– 120 min, digital – Livre
20h50 –Taurus – 94min, 35 mm – 16 anos

Dia 21 de junho (sexta-feira)
15h30 – Páginas Ocultas – 77 min, 35 mm– 14 anos
17h – O segundo círculo – 92 min, 35 mm– 14 anos
19h – Confissão (parte 4 & 5) – 80min, digital – Livre
20h50 – Sonata para Hitler (curta)&  Moloch – 117 min, digital &35mm – 16 anos

Dia 22 de junho (sábado)
15h30 – Dolce... & Elegia oriental– 106 min, digital – Livre
17h30 – Elegia da Rússia – 68 min,digital – Livre
19h – Maria (elegia camponesa) &Elegia de São Petersburgo – 77 min, digital – Livre
20h50 – Pai e filho – 94 min, 35 mm –18 anos

Dia 23 de junho (domingo)
14h00– Elegia de uma Viagem & Elegia – 74 min, digital - Livre
15h30– Mãe e Filho – 67 min, 35 mm – 16 anos

Dia 25 de junho (terça-feira)
17h30 – Vozes espirituais (parte 1& 2) – 72 min, digital – Livre
19h – Vida humilde – 76 min, digital –Livre
20h40 – O Sol – 110 min, 35 mm – Livre

Dia 26 de junho (quarta-feira)
17h – Vozes espirituais (parte 3) – 86min, digital – Livre
19h – Dolce... & Elegia oriental –106 min, digital – Livre
21h – Elegia da vida – 101 min, digital– Livre

Dia 27 de junho (quinta-feira)
17h20 – Vozes espirituais (parte 4) –79 min, digital – Livre
19h – Alexandra – 90 min, 35 mm – Livre
20h50 – Elegia moscovita – 88 min,digital – Livre

Dia 28 de junho (sexta-feira)
15h30 – A Pedra – 84 min, 35mm -  16 anos
17h30 – Vozes espirituais (parte 5) –90 min, digital – Livre
19h30 – Elegia de uma viagem &Elegia – 74 min, digital – Livre
21h – Páginas ocultas – 77 min, 35 mm –14 anos

Dia 29 de junho (sábado)
14h40 – Confissão (parte 1, 2 & 3)– 120 min, digital – Livre
17h – Confissão (parte 4 & 5) – 80min, digital – Livre
18h50 – A voz solitária do homem – 87min, digital – Livre
20h50 – O segundo círculo – 92 min, 35mm – 14 anos


Dia 30 de junho (domingo)
13h50 – Sonata para Hitler (curta)&  Moloch – 117 min, digital &35mm – 16 anos
15h50 –Taurus – 94 min, 35 mm – 16 anos
17h50 – O Sol – 110 min, 35 mm – Livre
20h – Fausto – 137 min, 35 mm – 14 anos

Serviço:
AlexanderSokurov – Poeta Visual
Cinema -  de 11 a 30 de junho de 2013 – terça a domingo.

Verifique a programação completa e a classificação indicativa no site bb.com.br/cultura e no facebook.com/ccbb.brasília

Entrada franca - As senhas serão distribuídas a partir de 1 hora antes do início do evento.

BRASÍLIA POP
brasiliapop@brasiliapop.com

Sobre Elijonas Maia

Elijonas Maia, 23 anos, é fundador e diretor-geral do Brasília Pop. Começou na internet em 2008, escrevendo para sites especializados na área de TV. Colaborou com o extinto TV Audiência e foi colunista semanal. Escreveu para a revista E-teen até criar o blog Pecevejo, de Variedades, ultrapassando 1 milhão de visitas em menos de um ano. Foi eleito pelo canal pago Multishow uma das 500 pessoas mais influentes do Twitter. Fora do mundo virtual, o jornalista já trabalhou no Jornal Satélite, Revista Freedom, Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Correio Brazilliense, TV Record Brasília e atualmente é repórter do Diário do Poder.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Anúncio